fbpx

Você conhece a piada que diz que o coach é o sujeito que te explica como ser bem sucedido e vai embora da reunião num Corsa 2008? Ou aquela sobre bastar ler 5 ou 6 livros de autoajuda para se considerar um coach? Já ouviu que coach é o cara que não deu certo na vida e resolveu ensinar os outros? Eu tenho certeza que sim. Eu sou coach e não me sinto ofendido. Eu sei que o humor surge sempre para evidenciar uma situação extrema ou incomum. E não é mentira dos piadistas que existem coaches demais… e que existe coach para tudo. Por isso, eu decidi escrever sobre o ciclo de lixo do coaching no Brasil!

Mas antes, permita que eu me apresente. Sou Guilherme França, coach formado em 2015. Life, executive, líder e master. Fundei a empresa Propósito MAIOR, onde trabalho com vários outros coaches. Portanto, sei do que estou falando.

A Indústria do Coaching no Brasil

Você faz ideia de como funciona a indústria de coaching por aqui? O sistema é muito bem arquitetado. E é inacreditável como gera dinheiro… para quem está no topo da indústria!

Você faz o primeiro curso (life ou self) e sai encantado com a quantidade de informação que recebeu. É como se abrissem sua caixa craniana e enfiassem no seu cérebro uma enciclopédia Barsa inteira com todos os volumes focados em desenvolvimento humano. No mesmo evento, alguém te abordará sugerindo um novo curso: o executive coach. E mesmo que você diga que não tem nenhuma intenção de trabalhar com empresas, ele vai insistir. E oferecerá também o curso master. Melhor: que tal fazer um pacotão com as duas especialidades? Vai ficar mais barato!

Seus olhos ainda estão brilhando. Seu corpo está eufórico. Ao seu redor, há treinadores que parecem ricos e famosos. E outros alunos que vão receber a mesma oferta e que, se toparem, tomarão o seu lugar entre os escolhidos para brilhar! Quem hesita, acaba ficando para trás… e continuando pobre. Neste cenário, o que você faz? Lógico, aceita, compra o pacote completo!

Estilo de vida - Ciclo de Lixo do Coaching no Brasil

Além dos cursos eles também vão vender um estilo de vida mais abastado — mesmo não sendo um valor para todo mundo.

Amigo, eu nunca soube de alguém ter saído de uma formação e começado a ganhar R$ 20 mil da noite para o dia. Os cursos não ensinam nada sobre empreendedorismo, sobre o coaching como negócio. Você não aprenderá a vender seus serviços, precificar, negociar, rebater objeções, prospectar novos clientes e fazer networking.

E isso não é uma falha da indústriaÉ uma estratégia. Porque, em poucos meses, você estará desesperado em busca de consumidores para o seu serviço. Cheio de conhecimento e sem ninguém para orientar. Aí, neste exato momento, surgirão oportunistas digitais, dizendo que você deve fazer parte de grupos de mentoria. Você precisa frequentar um grupo onde haja um coach dos coaches!!!!

Top das Galáxias - Ciclo de Lixo do Coaching no Brasil

Agora sim você será capaz de sacudir a galáxia. Top!

Pode ir abrindo a carteira, porque vão te dizer que será necessário fazer alguns cursos para aprender a usar ferramentas digitais, a fazer marketing nas redes sociais, a criar um nicho e a se posicionar na internet. É esta segmentação que dá origem ao conceito já muito popular, e infelizmente verdadeiro, de que existe coach para tudo: é coach oncológico, coach quântico, coach para “pegar mulheres”, coach para pet… o limite é não ter limite. São eles que sujam a timeline das nossas redes com mensagens motivacionais todos os dias. Nem sempre eles têm ou são o que prometem.

Mas a indústria ainda tem mais uma incrível oportunidade de negócio com a sua cara! Que tal ser convidado para participar como coautor de um livro sobre coaching? Eu topei este convite. E gastei um bom dinheiro para ter meu nome e meu artigo numa obra que, como a maioria, não vendeu muito, quase não foi lida.

E calma que tem mais! Olha esta outra chance fantástica de transformar seu sonho em lucro: uma fórmula mágica para aprender a lançar produtos online. Você fará uma série de treinamentos, durante algumas semanas, e sairá de lá um gênio da propaganda e sabendo tudo sobre comportamento dos consumidores! Não é justamente o que você precisa para atrair clientes, fechar negócios e ficar rico como coach? Bom… pesquise aí no Google quantos empreendedores conseguiram ter sucesso com essa fórmula encantada!

Não para por aí…

E aí vem outros quatro estágios que eu não precisei enfrentar, mas já vi e lamentei por colegas que tropeçaram neles:

  1. O coach começa a vender pacotes de ferramentas na internet que podem resolver qualquer problema. São a salvação para tudo. Mas não explicam sua motivação e nem sua aplicação;
  2. O coach começa a oferecer fórmulas mágicas com a promessa de muito dinheiro com pouco trabalho. E, claro, se perde na explicação de como isso seria possível, porque, na verdade, não é;
  3. Nada dá certo. Desesperado, o coach volta para o antigo trabalho ou procura uma nova profissão;
  4. O coach passa a desacreditar do processo de coaching e a fazer movimentos contra quem está atuando.
Desespero - Ciclo de Lixo do Coaching no Brasil

O desespero começa a bater tão forte quanto a vontade de comprar tudo o que foi ofertado pela indústria bateu. E agora?

Eu sei, você leu o item 4 e pensou: ‘mas é justamente isso que ele está fazendo”. Pensou errado. Acredito no coaching, sobrevivo muito bem com a atividade, dou palestras e cursos, e sou muito orgulhoso da quantidade de pessoas que confiaram em mim e que eu pude — e posso — apoiar. Este texto não é contra o coaching, não é contra os coaches. É sobre um ciclo destrutivo promovido pela indústria e que só prejudica a atividade.

  • As escolas de coaches ensinam a usar algumas ferramentas e técnicas. Nada mais do que isso! Claro que existem algumas exceções, que há estratégias de ensino incríveis e eficientes. Mas são poucas diante da imensidão de ofertas disponíveis no mercado.
  • As escolas não contam que você precisa ser gestor ANTES de ser coach.
  • As mentorias servem apenas para aglutinar coaches desinformados, perdidos e sem esperanças. São parecidas com marketing multinível, pois trabalham com técnicas para manter essas pessoas aprisionadas num sistema perverso.
  • As editoras de livros só querem o seu dinheiro. Elas não vão divulgar o livro, colocar você na mídia, e nem na vitrine e nas gôndolas principais das livrarias. Depois da publicação e de um rápido coquetel de lançamento, elas desaparecerão. Meses depois, farão novas ofertas. Quem sabe um $egundo artigo, um $egundo livro, é o que você precisa para ganhar clientes?
  • As ferramentas em pacote são as maiores mentiras do mundo, e não possuem fundamento algum!

Você precisa entender que coaching não é motivacional!

Coaching não é post cansativo nas redes!

Coaching não salva o planeta.

Coaching é sério e traz resultados positivos, sim.

Coaching é uma atividade honrada, e demanda estudos contínuos. Você não pode parar de aprender. Coaching mexe com mente e emoção. Não brinque. Não seja leviano. Não prejudique quem apostou no seu conhecimento. Não frustre expectativas.

Seja um dos muitos coaches e empresários sérios deste segmento no Brasil. Pertença a um grupo exclusivo de profissionais que optaram por serem reconhecidos pelo trabalho, e não por gritos ensurdecedores na internet e eventos caça-níqueis.

Se você quiser ser dono do seu próprio negócio, ou atuar sozinho, sem estar ligado a uma empresa de coaches, precisa entender de mercado. Você já pensou em como é desafiador encontrar clientes? O que você fará? Colocará anúncios no jornal do bairro? Fará campanhas pagas no Google? Patrocinará posts nas redes sociais? Tudo isso exige duas coisas que, provavelmente, você não tem para gastar à toa: dinheiro e tempo!

Empresário - Ciclo de Lixo do Coaching no Brasil

Se você quiser ser dono do seu próprio negócio, ou atuar sozinho, sem estar ligado a uma empresa de coaches, precisa entender de mercado.

E lembre-se: a prospecção do seu público é receptiva, ou seja, você precisa se divulgar e esperar. Não poderá contratar um representante comercial para visitar possíveis clientes, ou ficar telefonando e oferecendo seus serviços. Não é assim que esse mercado funciona. Você não é uma indústria, não vende um produto. O que você vende é conhecimento… e para quem reconhece que precisa de ajuda.

Também é necessário se relacionar bem com as pessoas, saber ouvir, saber que nem tudo pode ser dito, pois palavras magoam. Muitas vezes, é preciso, no bom sentido, dar corda para que o outro se enforque. Ou seja, direcionar o diálogo para um caminho em que ele mesmo perceba a dimensão real de seus problemas, suas fragilidades, e suas alternativas de mudança. Isso exige empatia, paciência, cordialidade.

Você precisa ser organizado. Serão muitos clientes todos os dias. E na outra semana, a conversa com o José precisa continuar de onde parou. Você precisará fazer anotações de toda sessão, tanto do que foi dito quanto de suas reflexões sobre o assunto, que ainda não foram explicitadas. Os problemas do cliente não serão seus problemas, mas estarão contigo por muito tempo. Não é uma carga leve para se carregar.

Quanto custa para ser um “coach de sucesso” no Brasil?

E quais são os custos para se tornar um “coach de sucesso”? Não é nada barato. Separei aqui alguns valores. Claro que é uma média. Não coloquei os preços de eventos e mentorias porque as diferenças são muito grandes:

  • Life coaching: R$ 7 mil
  • Executive coaching: R$ 7 mil
  • Master coaching: R$ 7 mil
  • Líder coaching: R$ 3 mil
  • Publicar artigo em livro: R$ 3 mil
  • Fórmula mágica: R$ 6 mil (só para fazer parte, e depois haverá outros gastos)
Investimento - Ciclo de Lixo do Coaching no Brasil

Fez as contas? Barato não é.

É um ciclo nocivo, pernicioso. Você faz um grande investimento e, quando se cansa de esperar resultados, se convence — ou é seduzido por estratégias de persuasão e marketing — de que precisa dar um novo passo. E faz uma outra formação. Ou coloca seu texto num livro. Ou investe numa estratégia de prospecção de clientes que parece ser incrível.

Você começa a sustentar o ciclo de lixo do coaching no Brasil, ao invés de dedicar seu tempo a ajudar pessoas e a prosperar como coach e empresário.

Tá. Tem solução?

E agora, depois de tudo isso, qual é a solução? Não existe uma só, e não há resposta definitiva para tudo. O que eu posso sugerir, com base na minha experiência, são alguns caminhos possíveis.

O que vou compartilhar são as soluções que adotei para mim, e para a Propósito MAIOR. Foi assim que nós chegamos até aqui com sucesso. Você será feliz e bem sucedido se:

  • Já for ou aprender a ser um empreendedor.
  • Tiver consciência de como o mercado funciona atualmente.
  • Estudar o que todas as escolas oferecem antes fazer sua escolha.
  • Não abandonar seu emprego para abrir uma empresa assim que estiver formado.
  • Ter a consciência de que a maioria das formações vão te ensinar a usar as ferramentas… e nada mais do que isso.
  • Saber que, para ser um coach de verdade, precisará de tempo de maturação para desenvolvimento ou aprimoramento das competências do coach e de muita dedicação, e que isso virá de fora das escolas.
  • Respeitar o código de ética que a metodologia exige por lidar com pessoas, seus objetivos e emoções.
  • Consumir a obra dos melhores autores. No mínimo, John WhitmoreMarshall Goldsmith e Bill Campbell.
  • Estudar filosofia.
  • Entender que coaching é coaching, e ponto final. Não existe seriedade quando alguém se define como coaching disso ou daquilo, como coaching espiritual, astrológico, quântico. É essa segmentação que cria a má fama do serviço no Brasil.

Eu espero que você não contribua para perpetuar o ciclo de lixo do coaching no Brasil. Não entre nesta aventura como um aventureiro, seguindo em frente sem saber o que está fazendo. Seja um explorador, munido de bússola, mapas, planos e, principalmente, foco. Tenha um propósito e você terá uma carreira!

Obs: Este texto exprime única e exclusivamente a minha opinião.

Instagramhttps://www.instagram.com/guicfranca/