Como fazer uma gestão de mudança efetiva?

Como fazer uma gestão de mudança efetiva - Propósito MAIOR

A mudança é uma tentativa de aproveitar o benefício de uma oportunidade ou uma necessidade

Você vai falir se não mudar seu comportamento, já falamos sobre isso na nossa área de conteúdo. Se não ficar atento vai arruinar sua família, seus colaboradores e quem mais estiver ao seu redor.

O que fazer? É preciso mudar o comportamento para ter mais desempenho humano.

O que é gestão de mudança?

A mudança sempre ocorrerá através de dois fatores: oportunidade ou necessidade. O que pode desencadeiar desses dois motivos através da alteração?

Sucesso ou colapso, depende do seu comportamento frente ao evento.

A gestão sempre terá como foco o desempenho humano. É certo que nenhum elemento pode ser negligenciado, caso contrário, todo o sistema de desempenho entra em ruínas.

4 passos antes de mudar

  1. Estratégia: O que faz com que você queira mudar? Qual é o objetivo e a direção a ser seguida? Com será feita a gestão desta mudança?
  2. Internalização: Quais hábitos e comportamentos são esperados?
  3. Foco: A atenção e comprometimento das pessoas foi apropriadamente atraída para a mudança?
  4. Sustentabilidade: Que condições indispensáveis garantem a continuidade da mudança?

 

Lembre-se que é preciso tratar estes 4 passos no nível individual e organizacional.

Como ter comprometimento da equipe?

O que mais ouço dos líderes, tratando-se de gestão de mudança, são reclamações do comprometimento da equipe no processo.

Alguns colcaboradores pedem para sair, outros se mantém e viram laranjas poderes, alguns atuam no modo tanto faz e pouco encaram o desafio com leveza desde o início.

O que fazer para que a equipe realmente se motive e abrace a mudança?

Usando o DISC na gestão da mudança

 

O gestor é responsável pelo quadro:

ETAPA INICIAL

  • Start: Por oportunidade ou necessidade se fez necessário mudar o caminho do projeto. Este ponto precisa ser definido com clareza.
  • Imobilização: É necessário avisar todas as pessoas envolvidas, desde fornecedores até o estagiário. ETAPA EMOCIONAL
  • Recusa: Alguém não gostou da mudança e se recusa a participar. Nota que nem sempre esse sentimento será verbalizado, o que pode piorar muito a situação.
  • Raiva: A recusa não resolvida se transforma em raiva e não engajamento algum em qualquer ação que seja tomada. Lembre-se, estamos falando que esses sentimentos pode acometer qualquer pessoa do projeto.
  • Reclamar: Esse é o momento em que existe uma externalização verbal e corporal ativa da recusa. A pessoa passa a reclamar de tudo e de todos para todo mundo.
  • Vítima: Nessa altura do campeonato muita coisa aconteceu e nada mudou para o reclamão. O vitimismo assume o controle para que os holofotes sejam apontados para outro lugar. ETAPA FINAL
  • Testar: Fase de avaliar os resultados da mudança e como ela reverbera no comportamento e desempenho pessoal.
  • Aceitar: Confirmar os resultados positivos e rever o que bão deu certo.
  • Engajado/Adaptado: Aqui o sujeito já está consciente de tudo o que aconteceu ejá incorporou as mudanças necessárias.

 

Só entra na etapa emocional quem não souber gerenciar a primeira parte. É onde o gerente precisa ter noções de como ser um gestor-coaching para administrar pessoal, emocional e orientação a resultados.

Compartilhe!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Faça o Teste DISC Gratuito da Propósito MAIOR

Categorias